Pé diabético

O que é pé diabético?

É o nome dado a toda complicação (dermatológica, neurológica, ortopédica e vascular) que ocorre em pés de pacientes diabéticos.

As alterações mais comuns são os calos, rachaduras, espessamento das unhas, micoses, deformidades ósseas, feridas de difícil cicatrização, infecções e, nos casos mais graves, até a gangrena que pode levar à amputações.                  

Como se faz o tratamento?

Segundo se sabe até 2 em cada 3 paciente que sofrem de diabetes e apresentam deformidades ou feridas nos pés sofrem com a má circulação nas pernas. Em virtude da má circulação, caso uma infecção se instale o organismo não consegue combater a infecção o que pode levar à gangrena e a amputação de parte ou de todo o membro.

Assim, é de suma importância avaliar a circulação dos membros inferiores em paciente diabéticos que por ventura desenvolvam complicações para prevenir desfechos desfavoráveis como as amputações.

A consulta regular com o cirurgião vascular, a realização de exames clínicos e de imagem (Ultrassom Doppler arterial, Angio-Tomografia de membros inferiores ou ainda a angiografia por cateter) são ferramentas necessárias para prevenção e tratamento.

Caso a má circulação seja detectada nos exames o cirurgião vascular poderá propor procedimento de revascularização (para melhorar a circulação do membro), como por exemplo a confecção de uma ponte (by-pass) ou por meio de angioplastia (cirurgia minimamente invasiva que reconstrói o vaso sanguíneo por dentro, usando, as vezes, um stent)