Doenças venosas (Varizes)

Estudos apontam que cerca de 38% da população brasileira sofre com varizes. Acomete cerca de 30% dos homens e 45% das mulheres. Entre os idosos, acima dos 70 anos chegamos em 70% da população.

São fatores de risco: 

  • Predisposição familiar;

  • Sexo feminino (proporção de até 2,3 para 1 homem);

  • Idade (quanto mais idoso maior a prevalência);

  • Oobesidade;

  • Número de gestações.

Contudo é importante salientar que as varizes representam apenas parte do problema. São apenas uma etapa do desenvolvimento de uma doença muito mais complexa chamada Insuficiência Venosa Crônica (IVC). 

Como a IVC é doença crônica e evolutiva, estimativas apontam que 3 a 11% das pessoas com varizes chegarão a estágios mais avançados da doença que causam alterações irreversíveis na pele da região afetada (escurecimento, descamação e ressecamento da pele).  Piora dos sintomas, abertura de úlceras (feridas) são também características da doença não tratada.

Do mesmo  modo, os vasinhos (telangiectasias) são sinais precoces de doença venosa crônica, que ao passsar do tempo podem causar dor e desconforto estético.

Uma vez que o indivíduo sofra com varizes, a única forma de resolver é por meio de intervenções, seja cirugia ou escleroterapia (secagem).

Abaixo veja um pouco mais sobre os tipos de tratamentos disponíveis.

Escleroterapia

A escleroterapia (secagem de vasinhos) é procedimento ambulatorial, ou seja, não requer internação e pode ser feito no consultório. Pouco invasivo e com bons resultados estéticos pode proporcionar também alívio de sintomas como coceiras,  dor e peso. está indicado para aqueles vasinhos avermelhados e também para aqueles azulados pouco mais profundos.

 

 

Cirurgia de Varizes com endolaser

Outra opção de tratamento, o endolaser é moderno, eficaz e pouco  doloroso. Está indicado para tratar varizes safênicas e perfurantes, quando a espuma não puder ou não for suficiente. O procedimento pode ser feito em nível ambulatorial com anestesia local (tumescência) ou sob raquianestesia no centro cirúrgico.

 

Espuma Densa

A Espuma de Polidocanol é bastante versátil. Pode ser usada em vasos retirculares (aqueles azulados) que não saem com a escleroterapia líquida convencional, pode ser usado para tratar varizes mais calibrosas ou até mesmo em safenas doentes, evitando assim a cirurgia e todos os eventos de um procedimento invasivo. Assim, quem trata as varizes com espuma fica livre do repouso, livre de hematomas extensos e pode sair andando logo após o procedimento!

 

Cirurgia de Varizes com radiofrequência

A radiofrequência é mais uma ferramenta para tratamento de varizes safências. Possui ótimos resultados e assim como o Laser é feito sob raquianestesia no centro cirúrgico.